Coronavírus ameaça provocar crise alimentar mundial, alerta ONU


Em declaração conjunta incomum, os líderes de três organizações multilaterais de alimentação, comércio e saúde – FAO, OMC e OMS – alertaram para o risco de uma crise alimentar causada pela pandemia de coronavírus.
Existe o risco de “escassez de alimentos” no mercado mundial, devido a perturbações derivadas da COVID-19 no comércio internacional e nas cadeias de suprimentos, declararam neste comunicado o chinês Qu Dongyu, que chefia a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO), o etíope Tedros Adhanom Ghebreyesus, diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), e o brasileiro Roberto Azevêdo, líder da Organização Mundial do Comércio (OMC).
“As incertezas geradas sobre a disponibilidade de alimentos podem desencadear uma onda de restrições à exportação”, o que, por sua vez, causaria uma “escassez no mercado mundial”, afirmam.
Nesses cenários, alguns países exportadores de grãos podem reter suas colheitas por medo de escassez, enquanto no outro extremo da cadeia alimentar globalizada outros países mais frágeis correm o risco de padecer graves penúrias.

Sem comentários

Com tecnologia do Blogger.