Relembre os momentos mais importantes da carreira de Renato Aragão

Um dos Trapalhões completa 83 anos neste sábado, 13, com quase 60 anos de trabalho na televisão

Renato Aragão completa 83 anos neste sábado, 13

Uma multidão se aglomerava nos arredores de um ginásio onde Os Trapalhões fariam um show na década de 1990. A grande massa era promessa de que Didi e seus companheiros teriam casa cheia, mas não foi o que aconteceu: apenas um terço da plateia foi ocupada. Isto porque apenas a elite de Angola, onde o show ocorreu, tinha condições financeiras de assistir. Chateado, Didi anunciou: “Hoje é aqui, mas amanhã é de graça no Cine Karl Marx”. Aí sim, tiveram plateia lotada.

Este é apenas um dos momentos mais marcantes da vida de Antônio Renato Aragão, comediante que marcou gerações de brasileiros e neste sábado, 13, completa 83 anos de vida e 58 de carreira na televisão. O E+ preparou uma retrospectiva para homenagear uma das personalidades mais importantes da televisão brasileira.
Renato nasceu em 1935 na cidade cearense de Sobral. Era o oitavo filho de sua família. Aos 20 anos, ingressou na Universidade Federal do Ceará para cursar Direito e, no último ano de seus estudos, já trabalhava para o Banco do Ceará. No entanto, não tinha certeza de que era essa a profissão que desejava seguir.
Isso porque Renato era fã de Oscarito, comediante hispano-brasileiro. Sendo assim, ele tinha um desejo secreto de ser palhaço e já escrevia scripts de programas de comédias quando ainda trabalhava na instituição bancária, mas guardou tudo para si. “Eu escondia porque achava pecado alguém estar na faculdade e ficar sonhando em ser artista”, disse em entrevista a Leila Neubarth em 1988.

Ida para a televisão
Tudo mudou quando foi inaugurada a TV Ceará, em 1960. A emissora abriu concursos para encontrar talentos dispostos a trabalhar lá e, entre eles, estava Renato Aragão. Ele se candidatou a um cargo que acumulava direção, produção e atuação.
Foi aprovado e seu primeiro programa foi Vídeo Alegre, em 1960. O curioso é que ele gravou o ensaio de sua estreia sem contar a nenhum conhecido. As pessoas próximas a ele só ficaram sabendo quando o programa foi ao ar. E Renato era tão divertido que todos acabaram aceitando a decisão dele de trabalhar na televisão.
A tecnologia da época não permitia que os programas ficassem gravados. Mas o comediante foi tão bem recebido pelos telespectadores que os comentários elogiando seu trabalho atravessaram o Brasil e chegaram até as emissoras do sudeste do País. E, assim, ele chegou ao Rio de Janeiro contratado pela TV Tupi.
Foi na cidade maravilhosa que Renato conheceu um dos comediantes com quem formaria a parceria de uma vida inteira: Dedé Santana. Os dois fizeram alguns trabalhos juntos e ele, naquela época, já admirava Renato como um dos grandes nomes da comédia nacional.
“Quando li os scripts dele, eu disse: ‘No dia em que você souber contar as piadas que escreve, você será o maior comediante do Brasil’”, falou Dedé Santana ao Arquivo N, da Globo News.

‘Os Trapalhões’
Após dois anos, agora em 1966, Renato Aragão foi contratado pela TV Excelsior. Na nova emissora, criou o programa Os Adoráveis Trapalhões. Ele dirigiu e atuou no humorístico ao lado de Wanderley Cardoso, Ivon Cury e Ted Boy Marino.
Os Adoráveis Trapalhões fazia sucesso, porém se extinguiu pouco mais de um ano depois porque cada ator tinha seus planos pessoais. Então ele voltou à dupla com o Dedé e os dois foram contratados pela TV Record, do então dono Paulo Machado de Carvalho.

   Renato Aragão, o Didi

Sem comentários

Com tecnologia do Blogger.